quinta-feira, 19 de maio de 2016

Inadimplência em BH é a maior dos últimos quatro anos

Segundo dados do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) da CDL/BH, a inadimplência na capital cresceu 5,64% em abril, na comparação com o mesmo mês do ano anterior. O desemprego pode ser o maior culpado.

postado em 19/05/2016 15:07 / atualizado em 19/05/2016 15:21
Beto Magalhaes/EM/D.A Press -   16/01/2012.
O cenário econômico adverso, com aumento da taxa de juros e do desemprego, trouxe um dado preocupante para Belo Horizonte. Segundo números do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) da Câmara de Dirigentes Lojistas de BH(CDL/BH), divulgado nesta quinta-feira (19), a inadimplência na capital cresceu 5,64% em abril, na comparação com o mesmo mês do ano anterior. O crescimento é o maior dos últimos quatro anos, nessa mesma base de comparação.

“A situação da economia, com a crise política, aumento do custo de vida e do desemprego, é o principal motivo para o crescimento da inadimplência”, comenta a economista da CDL/BH, Ana Paula Bastos. Segundo ela, a pesquisa da CDL mostrou que a maior concentração de dívidas está entre pessoas que a adquiriram há  três e cinco anos.

“São pessoas que pegaram financiamento nos últimos anos e, agora, diante da alta taxa de juros, estão  devendo mais”, diz. Ela aponta o desemprego como um fator preocupante para essa realidade. “Como as pessoas não estão conseguindo uma ocupação não estão conseguindo quitar o que devem”, avalia. Em 2015, a alta no número de pessoas inadimplentes foi de 1,95%. Já nos anos de 2014 e 2013 esses índices foram de 3,59% e 3,22%, respectivamente.

Ana Paula cita os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho, em que a proporção de pessoas desempregadas na capital em relação ao total de trabalhadores cresceu 5,88% em março deste ano, na comparação com o mesmo mês do ano anterior. “Com a perda do salário, o consumidor acaba entrando numa situação financeira delicada. A renda famíliar diminui e a capacidade de pagamento das dívidas fica comprometida”, completa.

Na comparação com o mês imediatamente anterior (março de 2016), a inadimplência na capital registrou aumento de 1,48%. O crescimento também é o maior dos últimos quatro anos, nessa mesma base de comparação. “O atual cenário econômico não está favorecendo o equilíbrio financeiro das famílias. Devido ao encarecimento do custo de vida, o orçamento de muitos consumidores vem sendo pressionado e a renda não está sendo suficiente para manter todas as despesas”, explica Ana Paula.

PLANEJAMENTO


Para quem está nessa situação, a economista aconselha planejar a vida financeira e quitar as dívidas mais altas, como aquelas de cartão de crédito. “Neste momento, é importante as pessoas darem preferência a pagamentos à vista e sempre planejar seus gastos”, fiz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário